Igualdade de Gênero no Trabalho: Desafios e Soluções

A igualdade de gênero no trabalho é uma demanda histórica das mulheres, sendo ainda hoje extremamente atual. Por esse motivo, a questão deve ser encarada com urgência pelas empresas! 

Entenda quais práticas podem ser implementadas para promoção da igualdade de gênero no ambiente de trabalho e porque o tema deve ser visto como forma de investimento e geração de valor, além de contribuir para a consolidação da responsabilidade social das empresas.

O contexto da desigualdade de gênero no ambiente de trabalho

De acordo com o Global Gender Gap Report, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial e publicado em 2020, em média, em todo o mundo, apenas 55% das mulheres adultas estão no mercado de trabalho, em comparação com 78% dos homens.  Nesse mesmo contexto, os homens recebem cerca de 40% a mais que as mulheres para exercerem a mesma função.

Segundo o relatório, serão necessários 257 anos para que o mundo possa diminuir a lacuna existente entre homens e mulheres no trabalho.

A desigualdade de gênero no trabalho no Brasil

O Brasil se encontra atualmente em 57º lugar no ranking mundial de igualdade de gênero no trabalho. O país teve uma melhora alta se comparado a outros países, até 2019 ocupava a 92º posição.

Ainda segundo o Global Gender Gap Report, a baixa participação das mulheres no mercado de trabalho, combinada com a persistente desigualdade salarial e de renda, piora a situação do país no quadro geral. 

Segundo a Análise das Condições de Vida da População Brasileira, pesquisa realizada pelo IBGE e publicada em 2021, a hora de trabalho dos homens valia, em média, 21,89% a mais que a das mulheres em 2020. Pessoas brancas, por sua vez, recebiam 42,27% a mais que pessoas negras também em 2020, o que coloca em situação de ainda maior vulnerabilidade das mulheres negras

Busca por equidade de gênero nas empresas no Brasil

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto ETHOS e financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento acerca do Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas Ações Afirmativas:

  • Nas grandes empresas, as mulheres estão presentes em 35,5% do quadro funcional, 38,8% na supervisão, 31,3% na gerência, 13,6% no quadro executivo e 11% nos conselhos de administração.
  • No mesmo contexto, os negros estão presentes em 35,7% do quadro funcional, 25,9% na supervisão, 6,3% na gerência, 4,7% no quadro executivo e 4,9% nos conselhos de administração.

Fica evidente, dessa forma, o afunilamento hierárquico que produz exclusão de mulheres e pessoas negras na medida em que aumentam as atribuições de comando. As mulheres negras são, portanto, as mais prejudicadas.

Diversidade de gênero como a potência que move as empresas e a sociedade rumo a um futuro melhor

Apesar de os dados apresentarem um panorama complexo, é preciso termos a consciência de que trabalhar pela igualdade de gênero no ambiente laboral é uma luta justa e necessária, com ganhos para todas e todos.  Mas afinal, qual a importância da igualdade de gênero dentro das empresas?

Segundo o Perspectivas de gênero e inclusão nas empresas publicado pela ONU em parceria com a OIT, a inclusão de diversidade de gênero nas empresas tem potencial para promover uma mudança cultural que contribui para:

  • ampliação da diversidade de pensamentos
  • catalisação dos processos de inovação
  • aumento da retenção de talentos.
  • crescimento da produtividade e do retorno financeiro

Na pesquisa Diversity Wins realizada na América Latina em 2020 pela, ficou comprovado que as empresas que adotam práticas de diversidade tendem a superar outras em inovação, colaboração, promoção de confiança nas lideranças, qualidade do trabalho em equipe e retenção de talentos.

Por fim, as empresas percebidas pelos funcionários como diversas em termos de gênero têm probabilidade 93% maior de apresentar performance financeira superior a de seus pares na indústria. 

Ainda é preciso avançar na promoção da igualdade de gênero no trabalho

As mulheres são uma força de trabalho extremamente importante e já foi comprovado que equipes com maior inclusão de gênero são mais produtivas e inovadoras. 

Apesar disso, elas ainda são alvo de discriminação, enfrentando vários obstáculos para crescerem dentro das empresas e ocuparem cargos mais altos na hierarquia. 

Somam-se a todos esses elementos, o preconceito contra a maternidade, o assédio sexual e moral, a dupla ou tripla jornada de trabalho, a violência de gênero – todas formas de violência que sobrecaem especificamente sobre as mulheres pelos simples fato de serem MULHERES.

Ações e práticas para promover a igualdade de gênero no trabalho

A promoção de igualdade de gênero irá contribuir para o desenvolvimento da sociedade como um todo, criando um presente e um futuro melhor para mulheres. 

As ações listadas abaixo, quando colocadas em prática, certamente também irão melhorar a imagem da empresa no mercado, gerando valor, melhorando a retenção de talentos, a inovação e produtividade.

Ouça as mulheres que trabalham na sua empresa

Garantir um processo de escuta-diagnóstico é fundamental para entender as demandas das suas colaboradoras. Ninguém melhor que elas, que possuem um lugar de fala privilegiado para tratar do assunto, para indicarem quais as melhores medidas a serem implementadas na empresa.

A partir disso, você terá mais informações para saber quais caminhos trilhar na implementação de ações afirmativas e políticas de inclusão de gênero.

Aprimore a forma de recrutamento e seleção

O preconceito contra as mulheres é uma questão que faz parte da estrutura da sociedade brasileira. Por esse motivo, é muito importante que haja diretrizes sérias nos processos de seleção que levem em consideração as especificidades das mulheres e a potência de sua incorporação no time.

Deve haver especial atenção para que não haja nenhum tipo de discriminação em relação às roupas utilizadas, ao fato de as mulheres serem mães, seu estado civil ou aparência. Além disso, é importante desconstruir a ideia de que os homens são mais práticos e racionais e as mulheres mais emocionais. 

O processo de recrutamento e seleção deve prezar pela equidade, garantindo assim tratamento igual às mulheres naquilo que são iguais aos homens, mas diferenciado-as positivamente de maneira a manter iguais condições de trabalho. 

Estabelecer metas de contratação também pode ser uma boa ação afirmativa a ser implementada, assim como garantir a presença de mulheres na posição de recrutadoras.

Garanta igualdade de remuneração

Como visto, os homens ainda recebem mais que as mulheres para o exercício das mesmas funções. O pagamento de salários iguais é um dever do empregador e um direito do empregado previsto na Consolidação das Leis do Trabalho

Nesse sentido, homens e mulheres devem receber salários iguais para as mesmas funções e níveis de responsabilidade.

Garanta direitos específicos para as mães (e pais)

Para a eficácia da promoção da igualdade de gênero nas empresas, é essencial que se compreenda a maternidade como parte da vida das colaboradoras, pensando benefícios específicos que atendam a essa demanda. 

Ao oferecer garantia do direito de acesso a creches, a empresa informa que compreende a importância do compartilhamento das tarefas de cuidado, reduzindo os obstáculos de crescimento profissional das mulheres. Também é possível estabelecer horários flexíveis para mães com filhos pequenos.

Garantir licença maternidade de 6 meses também é um passo importante na promoção dos direitos das mulheres no ambiente do trabalho. Garantir aos pais um período maior de afastamento também é uma forma de reduzir a sobrecarga sobre as mulheres.

Possibilite a flexibilidade

Muitas mulheres vivem a dupla ou até mesmo tripla jornada laboral, sendo responsáveis também pelas tarefas domésticas e de cuidado (tanto de filhos quanto parentes idosos ou doentes). 

Diante disso, garantir a possibilidade de atuação em home office ou regime híbrido é uma forma de melhorar a qualidade de vida da profissional – o que terá repercussões também na qualidade do trabalho. 

Estabeleça a igualdade de gênero como um dos valores da empresa

Quando a defesa e a promoção da igualdade de gênero se encontram dentre os valores da empresa, os colaboradores são estimulados a incorporar essa perspectiva. 

O assunto deve passar a fazer parte do cotidiano de trabalho, com leveza e abertura para o diálogo, sendo abordado em reuniões, capacitações, metas e indicadores. 

Medidas de combate à violência de gênero devem ser incluídas no código de ética e conduta dos funcionários e serem incorporadas como cultura organizacional.

Implemente fluxos de prevenção e combate do assédio

O machismo é um problema que faz parte da estrutura da sociedade brasileira, extremamente patriarcal e violenta. 

Por esse motivo, é preciso que haja compromisso real da empresa com campanhas de prevenção contra o assédio, tanto moral quanto sexual.

Complementarmente, é importante criar canais de ouvidoria que garantam a possibilidade de denúncias, inclusive anônimas.

Por fim, as denúncias devem ser investigadas com seriedade, sendo dadas respostas sérias, céleres e contundentes, com transparência e responsabilidade, tanto nos âmbitos trabalhista, como cível e criminal. 

Somente assim o ambiente de trabalho será seguro, acolhedor e verdadeiramente inclusivo para as mulheres.

Estimule a criação de programas de liderança feminina

O afunilamento que provoca a diminuição do número de mulheres nos cargos mais altos da cadeia hierárquica das empresas deve ser enfrentado diretamente.

Devem ser criados programas para o desenvolvimento de lideranças femininas e dos skills necessários para o exercício dessas funções. Também podem ser criadas cotas de liderança a serem ocupadas por mulheres, focando o treinamento e o recrutamento de forma específica para a ocupação desses cargos.

Outra opção é a revisão dos requisitos exigidos para as promoções dentro da empresa.

Um exemplo interessante é a criação de um programa de mentoria de mulheres pela alta liderança da empresa.

Estabeleça processos de autoavaliação

É necessário que sejam estabelecidos processos de avaliação continuada, com escuta dos líderes e colaboradores, olhando os processos internos e as políticas implementadas de forma crítica e cuidadosa. 

É preciso que os processos de autoavaliação contemplem de maneira específica questões atreladas à igualdade de gênero.

A Mosaice é uma consultoria para empresas que valoriza a diversidade de gênero e busca soluções corporativas para diminuir cada vez mais as diferenças entre homens e mulheres no trabalho. Para isso, entendemos que a educação corporativa, através de cursos, treinamentos, palestras, é o primeiro passo para as mudanças. No entanto, é preciso avançar e propor ações concretas para promover a igualdade de gênero no trabalho. A Mosaice tem as pessoas e ferramentas certas para ajudar a sua empresa a evoluir.  Conheça o nosso trabalho! Vem com a gente?

Sócio fundador, consultor e palestrante
Mestre em Sociologia Jurídica e bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Gustavo também possui formação complementar em Direitos Humanos pela Université de Lille, na França, e na Universidad de Buenos Aires, na Argentina.